4.27.2011

O futuro do português é sem dúvida o inglês

Digo-o em consciência ao consultar tanto os blogues mais sofisticados sobre literatura, arte e outras merdas, como os blogues mais rafeiros sobre outras merdas e também literatura e arte.

3 comentários:

Luis M. Jorge disse...

Tem razão, mas diga-me uma coisa: é possível ter um desses blogues mais rafeiros de quem só lê em inglês e escrever em português decente ou nem por isso? Não é que me sinta incluido na sua observação, e tal, mas pergunto a mim próprio se uma cura de Gonçalo M. Tavares que dizem ser tão bom escritor (já folheei nas livrarias, só não comprei porque não foi traduzido para a língua da rainha, e assim e português, a seco, pareceu-me mauzito — mas tenho o mesmo problema com o Saramago, dizem que escrevia lindamente estrangeiro), pergunto a mim próprio, dizia eu, se o tal regime me fará bem. Abraço.

GAF disse...

O maradona, que lê livros e também não enjeita o seu pouquinho de inglês no seu blog sobre merdas, nada rafeiro por sinal, encontrou como sempre a fórmula sarcástica perfeita: diz que só lê livros russos, franceses, alemães e quiçá portugueses "no original inglês". Mas há outros, atenção, que o fazem a sério. Não me refiro a si, claro, e respondo: Gonçalo M. Tavares é genial em estrangeiro (mas mais em francês), Tolstói também, Camões é que nem por isso...

Luis M. Jorge disse...

O maradona é o Wilde português, o que diga-se de passagem não será um grande encómio para o Wilde, e muito menos para o maradona.

contacto: